SIM, TEM JEITO!

SIM, TEM JEITO!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Podemos ser felizes sozinhos?



Meus queridos, eis uma pergunta que permeia e inquieta o pensamento de muita gente! Muitos apavoram-se com a ideia da solidão.
Num primeiro momento, é preciso que tenhamos claro que existe uma diferença fundamental entre “estar sozinho” e “solidão”. Afinal de contas, você pode estar sozinho e não ser solitário; assim como, pode estar rodeado de pessoas e sentir-se solitário (sentimento de solidão).
Há pessoas que dizem que “ninguém é feliz sozinho”. Apesar de respeitar a opinião de quem assim pensa, preciso apenas fazer algumas ressalvas, ou seja, também expor a minha (risos). É necessário tomar cuidado quando se emprega um termo universal (ninguém) a partir de uma concepção particular, tendo em vista que tal afirmação (ninguém é feliz sozinho) é uma opinião particular, gerada a partir de ideias, concepções, vivências e experiências particulares. Portanto, é uma visão um tanto quanto pretensiosa e presunçosa, ou seja, considera-se que TODAS as pessoas não podem ser felizes se estiverem sozinhas. E não se percebe que é querer universalizar e tornar como regra geral uma opinião particular. Sendo assim, é desrespeitar os muitos momentos felizes das pessoas que estão sozinhas sim, e estão felizes! Estão curtindo a si mesmas e não estão desesperadas atrás de alguém ou atrás de atingir a idealização de amor imposta pela sociedade - que praticamente nos obriga a estar com alguém. Vale ressalta que o “estar sozinho” é no sentido estritamente de relação amorosa e não de viver isolado do contato social.

É diferente de dizer “nenhum homem é uma ilha”. Esta afirmação de John Donne é verdadeira e nem há o que discutir, tendo em vista que vivemos em sociedade e nossas ações particulares incidem na coletividade. Sem contar que viver em sociedade é saudável, pois o TU – que é diferente do EU – ensina-nos, adverte-nos e, assim, faz com que reajustemos e reavaliemos nossas próprias atitudes.
Já a expressão “ninguém é feliz sozinho” (repito: entendendo sozinho como não estando em relacionamento amoroso) é uma opinião que nada tem a ver com estar em sociedade, mas apenas com estar ou não em uma relação amorosa. Se, de fato, acredita-se que ninguém pode ser feliz sozinho, ou seja, que ninguém pode ser feliz se não estiver numa relação amorosa, então realmente acredito que possa ser extremamente problemático. Por quê? Porque associaremos nossa felicidade a estar ou não em um relacionamento amoroso, portanto, se não estivermos numa relação amorosa estamos fadados a uma vida sem sentido, sem alegrias, sem realizações. É por isso que, comumente, diante do mal humor de alguém, ouvimos expressões como: “É que essa daí é uma solteirona, por isso que é amarga”; ou ainda: “Esse aí é um mal amado, por isso que é azedo assim”. Estas expressões refletem o que se esconde por detrás de tudo isso: toda a carga romântica que recebemos desde quando nascemos e que somos compelidos a acreditar que precisamos estar imersos em cenas hollywoodianas para, então, sermos felizes e conhecermos o que é o amor!
Seguindo o raciocínio de quem diz que “ninguém é feliz sozinho”, perguntaria então: você não era feliz antes de conhecer seu primeiro namorado ou namorada? Por que não poderia ser feliz com você mesmo? Por que precisa condicionar sua felicidade a estar ou não num relacionamento amoroso com alguém?
Quando condicionamos nossa felicidade a uma outra pessoa, tendemos a criar uma dependência e, sendo assim, passamos a aceitar as mazelas que, porventura, esta pessoa possa ter para conosco. É igual ao funcionário que aceita as ofensas do patrão porque sabe que depende do pagamento no final do mês! Se somos felizes sozinhos, então acredito que é justamente quando estamos maduros suficientemente para entrarmos numa relação em que a pessoa vem apenas complementar um estado de espírito que já é completo (e completo não significa perfeito, mas sim que está em constante processo de amadurecimento).


E não é porque estamos felizes sozinhos que estamos fechados a relacionamentos amorosos! Apenas estamos curtindo a fase na qual estamos, o que não significa que não possamos entrar numa nova fase, ou seja, entrar numa relação amorosa e curti-la também, ou seja, continuamos sendo felizes! Enfim, é isso! Desculpem-me pelo post extenso... me empolguei...kkkk.... Pense nisso! Forte abraço: André Massolini

9 comentários:

  1. Parabéns André,sempre me ajudando e surpreendendo com sua inteligencia em lidar com esse tipo de problema que sei que muitas pessoas passam...abraços de seu fã...!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. É verdade estar sozinho é diferente de ser solitário !

    ResponderExcluir
  4. É verdade estar sozinho é diferente de ser solitário !

    ResponderExcluir