segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Vícios em coisas boas ou ruins?


O hábito não refreado logo se transforma em vício (Santo Agostinho)

Meus queridos, acredito que nascemos com algumas aptidões (e chamamos de características inatas) e, outras, contudo, aprendemos e desenvolvemos ao longo de nossa vida. Isso, claro, mais voltado à área profissional.
Quando entramos em âmbito de características da personalidade, aí a discussão é mais ampla e tem diversas opiniões de estudiosos. Não sou estudioso do assunto, contudo, acredito que algumas características em nós começam a ficar sedimentadas através do hábito em praticá-las.
Uma pessoa, a partir de algum momento ou uma determinada situação, pode ter enxergado a vida de forma extremamente negativa e, então, começou a ter um discurso negativo a respeito das coisas. Ao invés de perceber que um fato negativo que lhe trouxe dissabores não poderia se estender por todos os outros aspectos, tal fato fez com que olhasse de forma negativa tudo. E, assim, vai se habituando a olhar o negativo em tudo. Isso, então, torna-se um vício e a pessoa se torna pessimista e sempre enxerga, primeiro, a possibilidade de fracasso ao invés de perceber a chance de sucesso.

Ora, mas se alguém pode se habituar a olhar o negativo e, sendo assim, adquirir o vício do negativo e transformar-se em pessimista, fica evidente que o inverso também é verdade, não é mesmo? Claro que sim! Penso que, se colocarmos a razão a nosso favor e soubermos olhar com sensatez os fatos, se soubermos analisar com critério as situações poderemos colocar os filtros necessários e aprender a sempre tirar um proveito das mesmas, por mais conflituosas que possam ter sido.
E, quando assim agimos, começamos a ter o hábito de sermos positivos. Habituando-nos a sermos positivos, portanto, tornamo-nos otimistas! Tem muita gente que tem sérias ressalvas e entorta a boca quando estão diante de pessoas que se consideram positivas e otimistas, como se estas fossem alienadas e sempre quisessem maquiar a realidade ou jogar as tristezas para debaixo do tapete.
Acredito que alguns até farão isso mesmo e, sem dúvida, será um problema. Olhar com positividade e ser otimista não é negar os conflitos pelos quais se passa! Assim como, evidente, jamais jogar para debaixo do tapete. Os conflitos existem, as decepções, as frustrações, as perdas e as consequentes tristezas decorrentes de tudo isso. Contudo, é olhar estas situações de frente, saber analisar com calma e sensatez e, assim, perceber quais foram os ensinamentos que tais situações nos proporcionaram. Quando assim agimos, mudamos o foco. Aprendemos a filtrar tais situações e não a escondê-las.

Portanto, podemos nos viciar em coisas boas! Podemos desenvolver o hábito de olhar o positivo antes de perceber o aspecto negativo. Podemos vislumbrar a vitória antes de pensar nos pontos que podem levar à derrota. Tudo é uma questão de hábito e de como queremos conduzir nossa vida. Pense nisso! Forte abraço: André Massolini