SIM, TEM JEITO!

SIM, TEM JEITO!

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Amor ou tesão?


É muito comum, nos relacionamentos, que a empolgação inicial, o desejo, o tesão deem lugar a um sentimento mais “calmo”, equilibrado e maduro.
O grande problema é que nós, por muitas e diversas vezes, tendemos a achar que este sentimento mais “calmo”, equilibrado e maduro é, na verdade, a rotina que se estabelece na relação e que as coisas ficaram “apagadas e mornas”.
E aí aparece uma outra pessoa na jogada. E começa a dar atenção a você; começa a te olhar de forma “diferente”, com um sorrisinho no canto da boca e engolindo seco. E diante desta cena, seu coração dispara e a adrenalina toma conta de seu corpo! E então, inevitavelmente, você sente algo totalmente diferente do que considera estar vivendo na relação “apagada e morna”. É uma sensação que parecia estar perdida no tempo. E fantasias começam a rondar sua cabeça. E você se entrega a esta paixão.
Quantos são os relacionamentos que terminam por causa disso! Só que aí, a pessoa que despertou tudo isso em você, simplesmente lhe deixa ou envolve-se com outra. E você fica arrasada, envergonhada e sentindo-se um lixo. E é neste momento que você se lembra da relação “apagada e morna” e percebe que, na verdade, era uma relação na qual havia respeito, consideração e a outra pessoa demonstrava sentir amor.
E aí você pede para voltar. E seu ex marido aceita seu retorno. Contudo, você continua pensando no outro que lhe despertara o tesão. Acredita que ainda gosta daquele que lhe despertou todas aquelas sensações e é nele que você pensa! E uma tristeza começa a tomar conta de sua vida.
Se você está passando por algo assim, a única reflexão que faço com você é no sentido de tentar distinguir tesão de amor. Em qualquer relacionamento é natural que a paixão (que empolga e eleva a adrenalina) ceda lugar à tranquilidade do amor. Esta tranquilidade, por sua vez, não significa mesmice ou rotina (mas isso vai depender de como encaramos a relação e como nos posicionamos diante dela). Sim, sei que há casais que tornam-se relapsos e desleixados (por considerarem que a relação é eterna), e é aí que as coisas podem tornar-se mornas e apagadas.

Precisamos saber distinguir tesão de amor. Talvez, você esteja achando que ainda gosta daquele que lhe despertou toda aquela adrenalina e fez com que você abandonasse seu casamento e se lascasse depois. Mas, será que você realmente gosta ou está confundindo com o tesão que a pessoa despertou em você? O tesão é a força motriz da paixão! E a paixão cega. Será que você não está conseguindo enxergar determinadas características, como os defeitos da pessoa, justamente porque elas estão ofuscadas pela paixão?

Acredito que vale a pena fazer uma distinção das coisas, porque senão ficamos eternamente focados em algo que, na verdade, não é real, isto é, acreditamos que ainda gostamos de quem nos deixou quando, na verdade, é apenas tesão. Este, por sua vez, faz com que acreditemos que ainda estamos apaixonados. A paixão não nos deixa enxergar a realidade de como a pessoa agiu para conosco, bem como não deixa enxergar quem, na verdade, nos ama e nos valoriza! Pense nisso! Forte abraço: André Massolini