SIM, TEM JEITO!

SIM, TEM JEITO!

terça-feira, 28 de julho de 2015

Pessoa certa na hora errada ou meras desculpas?


Acredito que muita gente já ouviu algo mais ou menos assim: “O problema sou eu e não você”. Será que esta frase é apenas uma desculpa ou, em algumas situações, corresponde à mais pura verdade?
Cada situação precisa ser vista dentro de seu contexto e a partir das características que a constituem. Mas, podemos refletir sobre algumas questões gerais acerca da problemática subjacente na afirmação do “o problema sou eu e não você”.
Pode ser que a pessoa começou uma relação apenas por começar e se deixou levar pelos estereótipos de romance hollywoodianos e foi agindo como se fosse a pessoa mais apaixonada da face da terra, fazendo mil declarações e juras de amor. Mas a fantasia não consegue sustentar o peso da realidade. E, após um tempo, a máscara vai ao chão. A fantasia se esvai e sobra apenas a realidade. E mesmo havendo carinho e admiração pela outra pessoa, não há sentimento capaz de sustentar uma relação amorosa. Portanto, de fato, não se trata de uma desculpa, mas sim “o problema” estava nela ao criar tanta expectativa e fantasias amorosas. O problema não estava em quem foi deixado ou iludido, mas sim em quem se iludiu e acabou iludindo.

Há outros que não querem magoar a outra pessoa e usam esta frase para expressar a falta de entendimento do porquê não conseguem manter a relação. É por isso que consideram estar vivendo um problema. Veja bem, não há problema algum em dizer que você considera a pessoa fantástica, mas que não rolou “a química” entre vocês. Sim, parece mais uma desculpa esfarrapada, mas não é! Quantas são as pessoas que consideramos fantásticas, realmente bonitas e inteligentes e, contudo, não desenvolvemos “a liga” necessária para querermos manter uma relação no nível amoroso.
E há aquelas pessoas que saíram de um relacionamento que deixou feridas e, na ânsia de curá-las, projetam uma empolgação e um interesse numa outra pessoa a fim de camuflar a frustração anterior. Mas, o tempo e o contato fazem com que a pessoa perceba que ainda não esqueceu muita coisa e que o machucado ainda dói. E, diante disso, diz não estar preparada para uma nova relação. Mais uma vez soa como uma grande desculpa, mas não é! Trata-se da mais pura realidade.

Meus queridos, é por isso que não devemos nos desvalorizar diante dos problemas e indecisões das outras pessoas. Você pode ser uma pessoa maravilhosa em todos os sentidos e, ainda assim, não conseguir “fisgar” alguém que você acha extremamente interessante e por quem ficou absolutamente envolvida. Não se desmereça por isso! Não se compare com quem a pessoa optou por ficar. Todos temos momentos, gostos e características únicas e o próprio Blaise Pascal sabiamente disse: “O coração tem razões que a própria razão desconhece”. Há fatores que fazem uma pessoa optar por outra que só dizem respeito a ela e que, por vezes, nem mesmo ela consegue entender! Ora, vamos nos desmerecer diante disso? Iremos reduzir quem somos apenas porque a pessoa está num momento em que não está preparada para estar com alguém, porque projetou fantasias ou porque estava querendo camuflar carências? Claro que não! Sigamos nosso caminho, dando o devido valor a quem somos para, assim, conseguirmos perceber quem, de fato, também nos valoriza e quer estar ao nosso lado por opção. Pense nisso! Forte abraço: André Massolini