SIM, TEM JEITO!

SIM, TEM JEITO!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Afogar-se em tristeza


Meus queridos, acredito que muita gente já imaginou o quão terrível deve ser morrer afogado, não é mesmo? Quem está se afogando debate-se na água o máximo que pode, lutando para sair dela.

Feita esta introdução, com um exemplo prático de uma situação terrível, pergunto: E por que será que tem tanta gente que fica mergulhada nas águas da tristeza e não se debate para sair? Ao contrário, percebo que muitas pessoas querem se afundar ainda mais e, então, criam situações, transformam-se em vítimas e suplicam a piedade de todos.
Não há problema algum em sentir tristeza. Todos sentiremos! E sabe por quê? Porque faz parte da condição humana, simples assim. O grande problema é que permanecemos nela. Há pessoas que, inconscientemente, sentem segurança na tristeza. São pessoas que acreditam que terão o amor garantido ao se fazerem de vítimas. Igual à criança que consegue a atenção e amor redobrado dos pais quando está “dodói”.

As pessoas têm que dar atenção a nós porque nos respeitam e não porque têm dó de nós! Afaste esta ideia da vitimização de você. Quanto mais esta teoria for norteadora em sua vida, então você não se debaterá para sair das águas das tristezas, ao contrário, afundará cada vez mais. E por quê? Porque, inconscientemente, sabe que quanto mais se afunda mais motivos têm para requerer o dó e a piedade das pessoas.
Tem gente que acha que somente o “amor verdadeiro” será capaz de tirá-la daquela situação na qual se encontra mergulhada agora (de tristeza e desolação pós término ou por causa de frustração e decepção amorosa). Ora, ora... novamente sinto um cheiro de imaturidade (lembremos que em praticamente todos os contos de fada, somente o beijo de um amor verdadeiro é capaz de fazer com que a pessoa desperte do sono profundo no qual está mergulhada). O amor verdadeiro é aquele que você deve ter por você mesmo! Pare de ficar esperando que outros venham fazer por você o que, na verdade, você deve fazer! Está na hora de, a exemplo de quem está se afogando, debater-se e lutar por sua vida. Debata-se! Mexa-se! Reajuste-se e queira sair destas águas!

Não mergulhe em mais tristeza. Ao contrário, mergulhe em você mesmo. Conheça-se. Pergunte o que quer para sua vida e, também, o que não quer. Aprenda, tire lições, reorganize-se! Prefira sair por conta própria a ficar mendigando por boias de carinho, afeto ou atenção. Pense nisso! Forte abraço: André Massolini

Um comentário: